quinta-feira, 30 de maio de 2013

Descobrindo os arredores


Dia de sol e, segundo a previsão, último dia de sol antes da partida.

Vamos então à Marseille, que temos um belo passeio de barco sobre as águas turquesas

Chego no hotel e fiquei sabendo que eles não tinham visitado nem as arenas nem tampouco o teatro antigo e como o ingresso só valia por dois dias, resolvi leva-los para visitar esses dois monumentos em Arles antes de pegarmos a estrada

O céu estava azul, azul bandeira!! Fazia um contraste fascinante com a claridade das pedras das paredes da arena e das ruínas do Teatro.

Em uma hora tínhamos dado uma bela volta. Valeu a pena.

Pegamos o carro e fomos para Marselha parando aos pés da Note Dame da la Gare. Era dia das mães aqui na Europa. Tinha muita gente e muito vento também! 

Depois da visita descemos de carro e fomos para o velho porto para o passeio de barco . Paramos antes para comer algo e fizemos o tour aos Calanques de Cassis. Com o vento o barco balançava um tanto, mas também com o vento não havia nuvens e o sol brilhava e deixava as águas mais belas assim como as pedras reluzentes

Depois do passeio fizemos uma volta pelo mercado que tinha nas ruas e voltamos

No dia seguinte , ainda um belíssimo sol fomos para Avignon, a cidade dos Papas e Gorde. Andamos juntos, comemos juntos , nos separamos e sempre nos reencontramos.  Foi lá que tomamos o sorvete de lavanda. Qual o gosto? O gosto do cheiro, isso mesmo, difícil de explicar, só experimentando para entender

Nosso último dia foi acompanhado de algumas nuvens e um pouco de água

Começamos por Baux de Provence, uma cidadela medieval que alguns fizeram o tour completo e outros (as) ficaram mais nas compras. De lá fomos fazer uma degustação na Mas de Bertha e passamos pelo Mausoléu de Saint Paul, onde Van Gogh passou seus últimos dias.  Demos uma paradinha nas ruinas do começo do milênio e depois fomos para Saint Remy de Provence onde, devido a chuva escolhemos de dentro do carro onde iriamos almoçar e acabamos parando num restaurante muito bom, de muito boa qualidade, que nem tinha um pichet ( vinho local em garrafa aberta ) mas agradou a todos

Ainda fugindo da chuva fomos tomar um chá numa outra casinha bem simpática e acabamos voltando para Arles

Às 19 horas nos reencontramos para tomar um vinhozinho e comer um queijinho juntos, afinal era nossa última noite

No dia seguinte 3 partiram de trem de manhã e três de avião à tarde. Hoje 2 estão em Paris, 2 devem estar a essa hora no ar voltando e 2 já devem estar em casa no nosso território brasileiro

No ano que vem tem mais!




sábado, 25 de maio de 2013

Dia da Peregrinação e festa em acampamento cigano


Dia 24, o tão esperado dia.

Tivemos uma manhã livre, uns foram à missa, outros foram fazer compras

Nos encontramos na Bodega e fomos tentar participar da montagem do andor, com a família Batista, a família que carrega a Santa desde a primeira peregrinação

Uma característica forte dos ciganos é o inesperado, o inagendável, bem assim: Na hora agente vê

Chegamos lá e aquilo que foi marcado comigo para 14:30 estava exatamente terminando então chegando lá já fomos saindo para acompanhar a família até a Igreja . Alias, dessa vez a igreja não estava tão cheia. Ao fim da missa alguns seguiram a procissão e outros foram esperar das pedras para ver a Santa chegando ao mar.

Novo encontro marcado. As 7 para ir à festa da família Batista. Nada de festa mas as 10 nos reencontramos e fomos a um outro acampamento onde havia um bela fogueira e o show do Ricao e, como ele disse, um show pra nós, onde todos estão convidados.
Foi bem interessante apesar do vento

Dia 25, dia de deixar Saintes, o grupo foi todo dar uma volta de barco, que sobe o Rio Rodano e veem os cavalos e touros. Todos sentiram como a cidade mudou. É bem interessante


Paramos quase todos para comer uma coquillage ( coisas do mar) outras foram ver as Marias chegarem na procissão.
Partimos para Arles. Ao chegar a observação foi unânime. Isso tem mais cara de Europa

Fomos dar uma volta, para pegar o passe livre para o Anfiteatro e Teatro antigo , eu ia lhes dar um passe de museu também, um presente, mas infelizmente quase todos os museus estavam fechados e ainda o de Godin não estava incluso no passe.

Deixei-os partir, cada um em seu passo novamente. A chuva marcou presença e logo partiu. 
O dia vai acabar com um belo pôr do sol.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

o Diário começa no dia de Santa Sara


Mais um detalhe para deixar essa viagem mais gostosa. Vamos fazer um diário de viagem

Já comecei um pouco atrasada mas por hoje ser o dia de Santa Sara e o dia que considero que nasceu a Turismo a la Carte, acho que estou perdoada

Estamos esse ano com um pequeno grupo de 6 pessoas, uma mistura  origem de diferentes regiões de nosso país, Marcia, de Recife,  Mario e Camila de Goiania, Simone e Celita de Porto Alegre e Gonçalo do Rio de Janeiro. Uma mistura que deu certo. Todos com o mesmo objetivo, estar presente na festa de Santa Sara e de quebra conhecer a Provence

Foram chegando devagarinho, e no final do dia 22 estávamos já todos na pequena Saintes Maries de la Mer e cada um em seu passo foi sentir o clima cigano que reina na cidade, com representantes de todas origens ciganas, caminhando, tocando, dançando, vivendo o clima de festa

Ontem dia 23 fomos dar uma volta pela Camargue e seus arredores
Começamos com Montpellier, a cidade universitária, o dia estava lindo. Caminhamos juntos pelas ruelas e admirávamos o charme, a arquitetura. , os artistas....Igrejas com decoração moderna, belas pinturas na parede, e assim fomos descobrindo a  cidade. 

Sentamos para tomar um café, quer dizer, muitos queriam vinho. Porém sentamos em num bar restaurante em frente à Igreja de Saint Roch e não podiam servir bebidas alcóolicas. Para mim, uma novidade.

Sem problemas, um café, um chá, uma tortinha e continuamos a caminhada.

De lá fomos para Aigues Mortes, uma cidade medieval cercada por suas muralhas. Que fome....
Fomos direto aio restaurante. E quem disse que se come pouco na França? Alguns nem conseguiram terminar.

Para digestão, saíram andando cada um em seu passo e nos reencontramos para voltar para Saintes Maries.

Quando nos reencontramos para jantar , cada um tinha tanta história para me contar!!! Gostei, missas, praias, descanso, depois vou pedir para eles incrementarem meu diário com suas próprias histórias afinal, esse diário é nosso,  da nossa viagem

O Jantar foi ótimo, apesar de ninguém estar com fome comemos bem e o vinho , os vinhos, foram bem recebidos para nos aquecer e animar a dança ao som de Boy e Negrita.

Detalhe, uma de nossas meninas faz aniversário hoje também, e teve a honra de escutar um Joyeux Anniversaire cantado por Boy

Paro por aqui. A festa lá fora está entrando forte nos meus ouvidos. 

terça-feira, 14 de maio de 2013

Terra de Santa Sara, dos Ciganos e dos artistas. Camargue e Provence 2011


Mais um ano vem, mais uma vez agente vai

Com a minha mudança para o Rio não consegui organizar a viagem para 2010 mas em 2011 eu estava com toda força de alcançar meu objetivo e ir mais uma vez com um grupo para o sul da França e compartilhar esse tesouro com muitos que o querem conhecer

Éramos um pequeno grupo de 2 pessoas, e tive a honra de receber contato de uma pessoa que trabalha com a cultura cigana em São Paulo. Assim o grupo foi ficando cada vez maior, chegando a 20 pessoas

A chegadas dela foi em 2 horarios diferentes mas ao final do dia estavam todas lá,
Para irmos juntas ao jantar com o show da maravilhosa cigana Negrita. As brasileiras deram um show de dança cigana


O dia seguinte já era o esperado dia de Santa Sara. Passei no hotel para ver todos e marcar um ponto de encontro para que sempre nos achássemos ao meio daquela grande festa e amontoado de pessoas de todos as raças e países do mundo

É um dia de muita festa , muita música, missa, peregrinação, um dia onde cada um busca o que mais lhe agrada, não faltando opções
No dia 25, dia das Marias, aproveitamos para visitar o mercado dos ciganos uma feira enorme situada na praça principal onde ha diversos produtos e fomos visitar um acampamento cigano. Só para sentirmos de perto a realidade deles, no caso agora sem festa, só para conversar. Fomos recebidos com muito carinho
Antes tivemos a honra de passar pela casa de André Taillet um dos poucos Saintois ( nascido em Saintes) de família tradicional local , que nos apresentou fotos antigas da pequena Saintes Maries de la Mer , uma raridade, uma coleção que poucos já viram.

Acabara a festa dos ciganos mas havia muito ainda a mostrar e algumas pessoas fizeram no dia seguinte comigo a visita a Arles, uma mini Roma, onde vi pela primeira vez a verdadeira importância dela para meus passageiros e decidi coloca-la como cidade de pernoite nos próximos roteiros, depois  Avignon, cidade dos Papas onde andamos muito e aproveitamos para almoçar e alguns não resistiram para fazer suas compras. Para finalizar o dia fomos para a pequena cidade de Gorde, toda em pedras claras, um labirinto sobre a montanha

Era hora de alguns partirem e foi um dia de despedidas e inda e vindas ao aeroporto.
A distância do aeroporto, o tempo de transfer e de espera para embarcar e desembarcar, me fez repensar também na praticidade de usar o trem e parar em Arles e não Marseille. Às vezes é bem melhor.

Quem ainda ficou teve o prazer de fazermos dois tours muito bonitos, primeiro fomos para Saint Remy de Provence onde encontramos uma degustaçãoo de vinhos e nos divertimos muito. Depois caminhando por entre as ruelas deparamos com a casa onde nasceu Nostradamus. Foi uma emoção.

Saimos de lá e fomos passar nas ruinas, iriamos visitar o parque pois estava incluso no passeio mas chegamos à conclusão que não teríamos muito tempo para aproveitar bem e decidimos entrar no Monastério, antigo hospital onde ficou o pintor Van Gogh. Que bela escolha! Mais uma mudança para
o próximo roteiro. 

A cada viagem seguindo ideias e opiniões de meus queridos viajantes, vou lapidando o roteiro. Sempre um roteiro tem novidades devido a eventos que são marcados de última hora  e devido mesmo à curiosidade de fazer caminhos diferentes, de se arriscar ao descobrimento do novo.  

De lá fomos para a medieval cidade Baux de Provence onde parecia que estávamos num filme, faltava só aparecer um príncipe montado num cavalo branco.

Nosso último tour foi para Aigues Mortes , mais uma cidade medieval, cercada por um muro e repleta de ateliês onde demos uma bela caminhada e almoçamos na praça principal e a cidade universitária de Montpellier  onde faltou forças para tantos passos que queríamos dar pois também há muitos pontos lindos a visitar. Mas não deixamos de vislumbrar a Place de  la Comédie nem tampouco de beber uma bela taça de vinho em Saint Roch

Voltamos para Saintes e fomos comer uns tapas na Bodega, era mais uma despedida

sábado, 6 de abril de 2013

O Caminho de Maria Madalena 2008

Nosso primeiro roteiro

Como me foi pedido com um intuito religioso fui atras de uma linha, um caminho já percorrido por un ente religioso. Quanto mais pesquisava mais me interessava pela área. Foi lá naquela pequena cidade onde eu morava que o Cristianismo entrou no ocidente e foi sendo ensinado e divulgado pela Europa.

Segundo a tradição, Maria Madalena, acompanhada de Maria Jacobé, Maria Salomé, Lazaro e Maximin e Sara Kali saem da Terra Santa e miraculosamente atravessam o Mar Mediterrâneo e chegam na pequena cidade de Saintes Maries de la mer.   

Era um grupo de 6 pessoas. Seis pessoas especiais. Fui buscá-las no aeroporto e tive o prazer de apresentar-lhes Saintes Maries de la Mer. Passamos 2 dias de muita festa , de muita religiosidade, de muita música e tradições.


O contato direto com os ciganos, a emoção de ver a Santa Sara passando ao nosso lado dentro da Igreja ( nem todos tiveram a força de restar dentro da Igreja pois ela fica muito cheia), No dia 24 choveu, mas isso não inibiu às pessoas de acompanhar a Santa até o Mar e ver os cavaleiros representando a chegada de Santa Sara às terras francesas.

Depois de um dia de descanso onde fizemos uma volta de barco no Rio Ródano para ver mais de perto a natureza com seus touros e flamingos, fomos visitar os arredores.

Passamos pela catedral de Sant Gilles pela cidade de Arles onde fizemos à pé uma pequena parte do caminho de Santiago de Compostella passando por belas construções do sec XVII, pelo anfiteatro pela Arena,Arles é como uma mini Roma. Visitamos ao museu Arlaten e depois do almoço partimos à Avignon . A visita do Palácio de Pape foi emocionante. Depois fizemos um passeio pelas belas pequenas ruas passando por algumas igrejas e capelas.                         

Seguindo o percurso de Maria Madalena passamos o dia em Marseille. Visitamos o Monastério de San Victor, a Igreja de Notre Dame de la Garde, com uma vista exuberante e fomos até a catedral. Almoçamos um lanchinho e fizemos a inesquecível volta de barco de Marseille à Cassis . As águas eram cristalinas, azul turquesa e faziam contraste com o branco dos Calanques

De lá fomos direto para do Massivo de Sainte Beaume e ficamos hospedados no Hotel das beneditinas do Sacré-coeur de Montmartre.



No dia seguinte subimos até a gruta , 1 hora de caminhada, onde Maria Madalena passou seus últimos 44 anos em retiro e tivemos uma palestra com o padre local. Ele foi muito atencioso conosco e foi contando passo a passo a história de Maria Madalena. Era uma palestra só pra nós numa igreja com as paredes de pedra, úmida, com o eco de uma gruta, parecia que havíamos voltado no tempo.

Fomos à Saint Maximin onde há a cripta de Maria Madalena e depois para a bela cidadezinha de Castelet. Andamos pelas ruas e fomos visitando os atelies,  é um recanto de arte .

No dia seguinte eles se foram. Voltaram para o Brasil. E já tinha conosco a frase, “Precisamos organizar a viagem para o ano que vem”